E aproveitando o ensejo, denuncia o grande paradoxo da ONU com relação às suas decisões sobre Direitos Humanos. Na verdade trata-se do núcleo do movimento globalista internacional que há muito tempo foi tomado pela revolução cultural esquerdista. Confiram o comentário e compartilhem!

Deixe uma resposta