Produção insuspeita de 2001 da TV Brasil já chamava a guerrilha do Araguaia pelo nome que deve ser chamado, terrorismo. O que demonstra que a narrativa esquerdista de deslegitimação do “Golpe de 64”, insistentemente apelada pela grande mídia, não corresponde mesmo à verdade dos fatos. A intervenção militar mobilizada pelo poder da sociedade civil da época chamava os terroristas esquerdistas pelo nome que mereciam, o que recentemente foi confirmado por jornalistas independentes excluídos da grande mídia como William Waack. Acompanhe e compare com a produção do Brasil Paralelo “1964, o Brasil entre armas e livros” boicotada pela grande mídia parcial e tendenciosa e que a cada dia que passa perde mais a pouca credibilidade que lhe resta.

Caminhos da reportagem da TV Brasil baseada no filme “Araguaia, a conspiração do silêncio”, de Ronaldo Duque, de 2004.

Deixe uma resposta