Em tempos de malogro de todas as formas de esquerdismo, uma das mais difíceis de identificação é a do campo estético: a doença cultural do relativismo moral avançando sobre a arte. Pois, se tudo pode ser arte, nada afinal será de fato arte. Como o perigo do relativismo moral em relação ao valor do belo pode relativizar os valores da verdade e da própria vida. Veja esta aula excepcional deste que é um dos primeiros filósofos da atualidade a denunciar o progressismo barroquista das esquerdas e se declarar conservador. E compartilhe.

Deixe uma resposta