Circula nas redes um banner com a relação de países que têm esta jabuticaba chamada de “justiça eleitoral”. Nenhum, desde Inglaterra, Alemanha, Japão, EUA e até mesmo Portugal. Nenhum país possui tal exótica instituição.

Pois é. Temos de enfrentar este nosso impasse civilizatório: o barroquismo mental de preferir o adjetivo ao substantivo, o acessório ao principal, a aparência à essência. Pra que servem afinal de contas essas justiças “especializadas”, como a eleitoral? Assista o comentário e se inscreva no canal.

Deixe uma resposta