Quem não pode renunciar é a cidadania

Finalmente termina a novela da renúncia do senador Joaquim Roriz, flagrado em conversa telefônica gravada pela Polícia Federal de Brasília negociando a partilha de um cheque de 2 ,2 milhões de reais que pertencia ao empresário Nenê Constantino. Mas nosso Senado Federal ainda patrocina uma outra novela, a do senador Renan Calheiros que, desafiando pedidos dos próprios colegas de casa, mantém-se na presidência do Senado e diz que não renuncia.

Pois nesse jogo escabroso do “eu renuncio-eu não renuncio” que parece não estar disposta a renunciar é a cidadania consciente e os verdadeiros cidadãos atuantes deste país. Conforme comentamos em nossa última conversa, o jornal O Globo acaba de produzir uma série de reportagens sobre a impunidade no Brasil – escândalos envolvendo dinheiro público cujos principais suspeitos não receberam qualquer punição. Em paralelo a esta série, O Globo publicou opiniões e sugestões de internautas sobre reforma política, eleitoral e das leis, de forma a fazer frente a tantos casos de corrupção.

Aqui na Voz do Cidadão fizemos um levantamento dessas sugestões, somadas às que recebemos diariamente em nosso site, e listamos as que mais aparecem. Ou seja, as que os cidadãos mais desejam ver implementadas pelo Legislativo e levadas em consideração pelo Judiciário.

Algumas são bastante recorrentes, praticamente unanimidades, como o fim do foro privilegiado, o impedimento de candidaturas de cidadãos envolvidos em processos judiciais, o fim dos suplentes que acabam tomando posse sem nunca terem sido eleitos.

Outras, menos mencionadas também são bastante interessantes, como as que sugerem limite para número de reeleições para cargos no legislativo, redução no número de deputados e senadores, confisco de bens de políticos condenados por desvio de dinheiro público, utilização cada vez maior de novas tecnologias – como a internet – para consultas públicas de temas relevantes e polêmicos, júri popular para processos que envolvam políticos, fim dos cargos comissionados e outras.

Um fato nos chamou a atenção. Apelos diretamente ligados à consciência de cidadania também aparecem, como ensino nas escolas sobre a nossa Constituição Federal, cobrança por uma cobertura de mídia que privilegie menos a violência, mais ações positivas e que gerem mais auto-estima, mais manifestações populares sobre os assuntos que, afinal de contas, afetam nosso dia-a-dia e nosso futuro.

Aqui na Voz do Cidadão, colocamos à disposição dos visitantes uma apresentação com essas e outras sugestões dos cidadãos, divididas por temas como reforma política, reforma eleitoral, administração pública e cidadania. Baixem, repassem para seus amigos e discutam sobre esses temas.

Participem!

Categoria:

Editorial

Deixe uma resposta