<p>Meio ambiente – Conheça a AEPW – Aliança pelo fim dos resíduos plásticos, por João Lara Mesquita<p>

Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos, finalmente o mundo dá as mãos

O problema é seríssimo, e mundial. Jamais será resolvido se não houver participação global. Parece que 2019 chega trazendo notícias auspiciosas para o drama do plástico. O material, inventado nos anos 50 do século 20, trouxe enormes benefícios, por um lado; mas terríveis prejuízos, de outro. De todo o plástico produzido no mundo, em 65 anos desde a sua invenção, apenas 9% foi reciclado. Onde está o resto? Nos oceanos, e em aterros mundo afora. O plástico não se desfaz, foi o grande aprendizado de 2018, depois de inúmeros alertas da comunidade científica mundial. Para combater esta ‘chaga’ da nossa era, este ano trouxe a novidade, a Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos (AEPW, na sigla em inglês).

ilustração sobre a missão da Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos

O que é a Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos

É a união de cerca de 30 empresas tidas como ‘gigantes’ globais (setores plástico e bens de consumo), de quase todos os continentes, Américas, Europa, Ásia, África e Oriente Médio, einvestimentos previstos de US$ 1,5 bilhão de dólares nos próximos cinco anos visando livrar o descarte incorreto do plástico, principalmente, mas não apenas, nos oceanos. Na palavra da AEPW, “somos uma organização sem fins lucrativos, em parceria com a comunidade financeira, governo e sociedade civil, incluindo ONGs de desenvolvimento ambiental e econômico. Estamos trabalhando para tornar realidade o sonho de um mundo sem lixo plástico.” David Taylor, o chefão do grupo (e presidente da P&G), declarou: ““Todos concordam que os resíduos de plástico não pertencem aos nossos oceanos ou qualquer outra parte do meio ambiente. Este é um desafio global, complexo e sério que exige uma ação rápida e uma liderança forte. Essa nova aliança é o esforço mais abrangente até o momento para acabar com o lixo plástico no ambiente. Peço a todas as empresas, grandes e pequenas e de todas as regiões e setores, que se juntem a nós.”

As cinco ‘verdades’ da Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos

No site da milionária nova ONG há uma página dedicada às verdades por eles elencadas, que são:

Fato Nº 1: Apenas dez rios transportam mais de 90% dos plásticos do rio para o oceano.

Fato Nº 2: 80% do plástico oceânico vem de fontes terrestres.

Fato Nº 3Mais de metade do vazamento de resíduos de plástico em terra vem de apenas cinco países, China, Indonésia, Vietnam, Filipinas, Tailândia.

Fato Nº 4: A pesquisa identificou as mais significativas fontes de resíduos plásticos não gerenciados e aspectos-chave da solução.

Fato Nº5Substituir plásticos em embalagens e produtos de consumo com materiais alternativos pode elevar os custos ambientais quase quatro vezes.

A divisão do descarte de plástico por países, segundo a AEPW

Para a Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos, a divisão do plástico por países é a que segue abaixo.

mapa mundi mostra países que despejam plástico no mar

Origem por país de resíduos plásticos não gerenciados em 2010 (toneladas métricas). As fontes são, Universidade da Geórgia; Universidade da Califórnia; Associação de Educação Marinha. Abaixo, a parte que compete ao Brasil e aos Estados Unidos.

mapa da Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos mostra descarte de plástico nos USA e Brasil

Finalmente, os maiores vilões, China e Indonésia.

mapa da Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos mostra descarte de plástico na China e Indonésia

 

Elencados os problemas, a AEPW propões soluções

Algumas das estratégias: fazer parcerias com prefeituras, de modo a criar sistemas integrados de gestão de resíduos; desenvolver um banco de dados global; colaborar com organizações internacionais como a ONU; e o mais difícil, custear redes de incubadoras para desenvolver tecnologias e modelos de negócios que trabalhem com reciclagem (ao nosso ver o grande drama é a reciclagem) ou impedindo o descarte nos oceanos. E ainda, dar apoio à iniciativa Renew Oceans, para incentivar investimentos e engajamento regional. O programa tem o objetivo de capturar os resíduos plásticos antes que cheguem ao oceano, nos 10 rios que transportam a maior parte destes resíduos. Faz parte da estratégia, ainda, a educação e engajamento de governos, empresas e comunidades para incentivar ações.

Os fundadores da Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos

A lista é de fazer brilhar os olhos de qualquer um:   a brasileira Braskem, BASF, Berry Global, Chevron Phillips Chemical Company LLC, Clariant, Covestro, CP Group, Dow, DSM, ExxonMobil, Formosa Plastics Corporation USA, Henkel, LyondellBasell, Mitsubishi Chemical Holdings, Mitsui Chemicals, Nova Chemicals, OxyChem, PolyOne, Procter & Gamble, Reliance Industries, SABIC, Sasol, Suez, Shell Chemical, SCG Chemicals, Sumitomo Chemical, Total, Veolia e Versalis (Eni).

Fontes: https://endplasticwaste.org/join-us/; https://www.segs.com.br/demais/152304-nova-alianca-global-destina-mais-de-us-1-bilhao-para-combater-o-descarte-de-plasticos-no-meio-ambiente; https://www.ultimoinstante.com.br/ultimas-noticias/economia/atualiza-1-braskem-integra-alianca-global-de-empresas-para-combate-a-poluicao-causada-por-plasticos/275781/; https://economia.estadao.com.br/blogs/ecoando/o-mar-nao-esta-pra-plastico-investimento-de-15-bi-vai-eliminar-descarte-incorreto/.

Caça à baleia, o Japão, confusões, e a Antártica

Deixe uma resposta