De longe, o voto mais qualificado do julgamento do HC do condenado-mor. O ministro é didático e fala sem a necessidade de legenda de tradução do juridiquês empolado de alguns de seus pares que mais enfeitam o pavão e se auto-elogiam quanto mais inseguros de suas posições. Um magistrado compromissado com a eficiência da Justiça e a razoabilidade de suas decisões, sempre trazendo para a realidade vivida pelos cidadãos as teses abstratas dos pavões metidos a deuses. Fale a pena compartilhar!

Deixe uma resposta