Em tempos de renovação política, vale esta reflexão de quão numerosos e poderosos serão os inimigos da tentativa de modernização da máquina pública nacional. Uma verdadeira farsa barroquista de ineficiência e corporativismo escandaloso. Só para se ter uma ideia, pequenas cidades norte-americanas com pequena representação da cidadania simplesmente não têm câmara de representantes, mas simplesmente comitês gestores de cidadãos voluntários. E no lugar de prefeitos, simplesmente um executivo de gestão pública contratado pela comunidade. Chegaremos a isto? Esta é a reflexão que todos devemos fazer neste momento de mudança política e de paradigma cultural. Compartilhem!

Deixe uma resposta