Já há algum consenso que vivemos no Brasil uma guerra cultural, uma batalha de narrativas onde fica evidente a mentalidade barroquista que ainda viceja em nossa cultura política, judiciária e de costumes de tudo tentar torcer, retorcer, contorcer e distorcer. Daí a oportunidade da tese de meu novo livro que você pode conhecer clicando no banner ao lado. E o que poderia ser decisiva no resgate da razoabilidade e sensatez iluminista que ainda habita em alguns espíritos da alta cultura, sobretudo na trincheira decisiva do jornalismo, que apenas distorce o que poderia destorcer, desfazer das distorções.

Não é à toa que já circula nas redes sociais o “Mini-glossário do jornalismo atual”. Vejam alguns exemplos desta escaramuça ideológica e o mais recente sobre a narrativa do feminicídio desmascarado pela professora de inglês Thaís Azevedo que edita “O Olhar da Direita”considerada a maior página antifeminista do mundo, com mais de meio milhão de  seguidores:

Bandido: vítima

Policial: opressor

Invasão de propriedade: ocupação

Favela: comunidade

Militante de esquerda: especialista

Terrorista: manifestante

Comunista: progressista

Patriota: fascista

Cristão: homofóbico

Islã: religião da paz

Sindicalista: povo

Parasita: sindicalista

Mídia Independente: fake news

Verdade: factóide

Muitas críticas: robôs

Emite uma noticia errada: o governo mudou de opinião (ou voltou atrás)

Condenado: preso político

Ladrão: mais honesto do mundo

Putaria: arte

Crianças alisando homem nu: performance

Vilipêndio: exposição

Orar e agradecer: país laico

Armas nas mãos de narcoterroristas: guardas-chuvas

Criminoso: suspeito

Roubo: erro

Esquerdista: leitor especialista

Opinião dos especialistas: militância de esquerda

‘Diz leitor’: sua opinião enrustida

Linha editorial: ideologia política

Sigilo da fonte: desculpa para esconder a ideologia política

Governo de esquerda: democracia

Governo de direita: ditadura

Guerrilheiro: vítima da ditadura

Presidente Bolsonaro: candidato eleito

Narcoditador Maduro: Presidente da Venezuela

Traficante: estudante/entregador/moto táxi

Polícia Federal: Gestapo

Aborto: saúde reprodutiva da mulher.

Doutrinação em sala de aula: liberdade de cátedra

Direita: autoritarismo

Esquerda: liberdade

Bandeira e hino nacional: exagero patriótico

Empresário: explorador

Extrema-Imprensa hipócrita: jornalismo brasileiro

Olavo de Carvalho: teoria da conspiração

Feminicídio: guerra dos sexos

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.