"Para além de direitos, o maior dever do cidadão é formar outro cidadão.""O maior castigo para aqueles que não se interessam por política é que serão governados pelos que se interessam." Arnold Toynbee"O momento exige que os homens de bem tenham a audácia dos canalhas." Disraeli"Cidadãos moradores, eleitores, consumidores e pagadores de impostos, uni-vos pela plena cidadania!""Mobilizando a cidadania contra o populismo.""O que me preocupa não é o grito dos maus e sim o silêncio dos bons." Martin Luther King"Não basta aos cidadãos terem responsabilidade civil.""Não basta às empresas terem responsabilidade social.""Não basta aos governos terem responsabilidade fiscal.""É preciso o compromisso de todos com a responsabilidade política, expressão de uma verdadeira cultura de cidadania.""Mobilizando a cidadania pela reforma política.""As leis inúteis debilitam as leis necessárias." Montesquieu"A verdadeira administração da justiça é o pilar mais firme de um bom governo." George Washington"Para que o mal triunfe basta que os homens de bem se omitam." Edmund Burke"Não há poder maior que o de uma ideia cuja hora chegou." Victor Hugo"Mobilizando a cidadania pela transparência pública.""É impossível para um homem aprender aquilo que ele acha que já sabe." Epíteto"Onde não há lei, não há liberdade." John Locke"As instituições do Estado e seus agentes devem servir sobretudo ao interesse público. Em caso de conflito de interesse entre cidadãos e governantes, devem servir mais aos primeiros que aos segundos.""Se um cidadão invoca a cidadania em defesa de direitos, seus deveres não podem ser ignorados." T.H. Marshall"Mobilizando a cidadania contra a demagogia." "Qualquer homem que dispõe de poder é levado a abusar desse poder; e irá até onde encontrar limites." Montesquieu"E sem saber que era impossível, ele foi lá e fez." Jean Cocteau"Nunca duvide que um grupo de cidadãos comprometidos e atuantes pode mudar o mundo." Margaret Mead"Mobilizando a cidadania contra a impunidade e a ilegalidade.""Para além de direitos, o maior dever do cidadão é formar outro cidadão.""Mobilizando a cidadania contra a imoralidade política.""O jornalismo pode e deve ter um papel no reforço da cidadania, melhorando o debate público e ressuscitando a vida pública."

"Para além de direitos, o maior dever do cidadão é formar outro cidadão.""O maior castigo para aqueles que não se interessam por política é que serão governados pelos que se interessam." Arnold Toynbee"O momento exige que os homens de bem tenham a audácia dos canalhas." Disraeli"Cidadãos moradores, eleitores, consumidores e pagadores de impostos, uni-vos pela plena cidadania!""Mobilizando a cidadania contra o populismo.""O que me preocupa não é o grito dos maus e sim o silêncio dos bons." Martin Luther King"Não basta aos cidadãos terem responsabilidade civil.""Não basta às empresas terem responsabilidade social.""Não basta aos governos terem responsabilidade fiscal.""É preciso o compromisso de todos com a responsabilidade política, expressão de uma verdadeira cultura de cidadania.""Mobilizando a cidadania pela reforma política.""As leis inúteis debilitam as leis necessárias." Montesquieu"A verdadeira administração da justiça é o pilar mais firme de um bom governo." George Washington"Para que o mal triunfe basta que os homens de bem se omitam." Edmund Burke"Não há poder maior que o de uma ideia cuja hora chegou." Victor Hugo"Mobilizando a cidadania pela transparência pública.""É impossível para um homem aprender aquilo que ele acha que já sabe." Epíteto"Onde não há lei, não há liberdade." John Locke"As instituições do Estado e seus agentes devem servir sobretudo ao interesse público. Em caso de conflito de interesse entre cidadãos e governantes, devem servir mais aos primeiros que aos segundos.""Se um cidadão invoca a cidadania em defesa de direitos, seus deveres não podem ser ignorados." T.H. Marshall"Mobilizando a cidadania contra a demagogia." "Qualquer homem que dispõe de poder é levado a abusar desse poder; e irá até onde encontrar limites." Montesquieu"E sem saber que era impossível, ele foi lá e fez." Jean Cocteau"Nunca duvide que um grupo de cidadãos comprometidos e atuantes pode mudar o mundo." Margaret Mead"Mobilizando a cidadania contra a impunidade e a ilegalidade.""Para além de direitos, o maior dever do cidadão é formar outro cidadão.""Mobilizando a cidadania contra a imoralidade política.""O jornalismo pode e deve ter um papel no reforço da cidadania, melhorando o debate público e ressuscitando a vida pública."

Feliz 2004

Enfim, última semana do ano de
2003 de conclusão de reformas importantes,
como a previdenciária e a tributária,
mas ainda longe das reformas essenciais
para o desenvolvimento de uma cidadania
mais consciente e atuante na condução
das políticas públicas brasileiras
e mais senhora de um destino mais justo
e menos violento para nosso país!

Vocês de certo têm o direito
de questionar, usando para isso, o espaço
de manifestação aqui de
nosso site mas saibam que a maioria de
nós, cidadãos moradores,
eleitores, contribuintes e consumidores,
que freqüenta o nosso site dos manifestos,
responde às nossas enquetes ou
relata seus casos de cidadania exemplar
para a galeria dos cids exemplares, tem
a firme convicção da precedência
das reformas política e judiciária
sobre todas as demais.

Somos um coletivo de quase 20.000 cidadãos
brasileiros que, ao final deste ano de
economia zerada, estamos cada vez mais
conscientes de que os políticos
e os juízes estão em débito
para com a sociedade civil organizada
em termos de avanços na cultura
de justiça social e mesmo de democratização
de acesso e rapidez dos processos judiciais.

Os políticos começaram uma
reforma política que avança
sobre temas como a cláusula de
barreira, a fidelidade partidária,
o financiamento público de campanhas,
o regime de coligações e
de candidaturas, todos de interesse dos
partidos políticos e da classe
política. Mas não avançam
sobre o tema da reforma que mais interessa
os cidadãos eleitores que é
a obrigatoriedade do voto.

É aí que questionamos a
qualidade de nossas representações
políticas quando afirmamos que,
no campo das intrincadas e às vezes
inconfessáveis barganhas do Congresso
Nacional, toda e qualquer reforma acaba
na meia-sola, com seus temas mais polêmicos
adiados para uma segunda ou terceira fases.
Toda reforma acaba conforme eles, os políticos,
querem. E não como a sociedade
está a reclamar. Propor uma reforma
política passando ao largo do restabelecimento
do voto facultativo, como forma de combate
às manipulações eleitorais
e a política de clientelismo, é
querer alienar do processo político
o principal ator da cena política,
que deve ser o eleitor.

Quanto à reforma do judiciário,
esta sequer começada, já
temos declarações da alta
magistratura remetendo para a simplificação
dos códigos de processo a panacéia
de todos as mazelas do judiciário.
E não a sua necessária administração
profissional, o seu controle externo pela
sociedade civil, que lhe paga os altos
custos e dele não obtém
os serviços essenciais de uma justiça
rápida, democrática, barata
e eficiente!

Se o preço da liberdade é
a eterna vigilância, continuemos
vigilantes contra os engodos dos políticos
e magistrados! E que 2004, enfim, nos
traga avanços num governo cada
vez mais sintonizado com as demandas de
justiça e paz de todos os brasileiros!

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.

%d blogueiros gostam disto: