Em um contexto de mudança política, de governo e, sobretudo, de valores culturais e morais, nunca é demais lembrar a origem judaica da brasilidade. Pois a maioria dos portugueses lançados ao mar para as grandes navegações eram os chamados “Anussim”, “marranos”, ou “cristãos-novos”, fugidos do Santo Ofício e das fogueiras da Inquisição. Neste sentido, é da tradição do Brasil se alinhar às grandes causas internacionais dos judeus, tendo sido o país líder de toda a comunidade internacional na fundação do Estado de Israel, quando a diplomacia brasileira se destacou entre as melhores e mais eficientes do mundo.

Deixe uma resposta