A propósito da iminente reunião do Sínodo da Amazônia, é importante a reflexão dirigida ao papa Francisco, jesuíta da ala progressista da Igreja Católica, por Gloria Álvarez, cientista política guatemalteca conhecida por ser uma ativista do libertarianismo e uma das principais críticas do esquerdismo na América Latina, sobretudo o acobertamento do papa às frequentes violações dos direitos humanos por parte dos ditadores da Venezuela, Cuba, Equador e Bolívia.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.