Quanto mais o professor desanca a “elite” de acadêmicos e jornalistas engajados na revolução cultural que criticam s sua figura, mais o professor aumenta o tom de seus desaforos! Mas, por mais que se desqualifiquem reciprocamente, não se pode negar que o debate público no Brasil nunca esteve tão vigoroso, e que cabe a Olavo de Carvalho o mérito de ter tirado a direita do armário! No mais, seus detratores continuam a se apegar a formalidades e superficialidades, uma vez que, lendo sua obra, não encontrarão sequer um palavrão, mas idéias-força capazes de abalar tremendamente as construções ideológicas de uma esquerda que, ela sim, não quer acordar de seu sono profundo! E confundir a essência com a aparência, o  substantivo com os adjetivos, a matéria com seu ornamento tem sido a mais evidente prova de nossa resiliente imersão barroquista!

Deixe uma resposta