Definitivamente, não dá para se discutir a complexa pauta do aborto sem o entendimento prévio da natureza humana e a falácia argumentativa que desloca sua responsabilidade moral para o abstrato poder público!

No momento em que se completa um ano da audiência pública do Supremo sobre a questão e o Congresso Nacional não enfrenta o tema, vale a reflexão como contraponto à mídia hegemonicamente abortista.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.