Cláudia Moura

Recebemos de Cláudia Moura, cidadã
moradora de Padre Miguel, no Rio de Janeiro,
mais uma denúncia contra mal atendimento
no posto do Ministério da Previdência
e Assistência Social. E agradecemos
a Claúdia Moura o seu relato minucioso
e o exemplo de persistente luta em defesa
de seus legítimos direitos.

Pois não é a primeira mensagem
que recebemos reclamando do atendimento
aos segurados do INSS e o seu caso pode
estar se repetindo em todo o Brasil. No
caso, Cláudia, descreve com detalhes
o descaso, a arbitrariedade e a arrogância
com que é tratada pela médica-perita
Dra. Zenaide, que, sem mesmo olhar para
o seu laudo ou examiná-la, lhe
nega a concessão do benefício,
referindo-se a ela e ao médico
que atestou sua doença como impostores
e malucos.

Cláudia Moura recorreu da decisão
uma vez que seu próprio empregador
– um banco privado, vejam bem! – lhe depositou
na íntegra o seu salário
durante meses na certeza da concessão
da licença para tratamento de uma
doença evidente e atestada por
um médico idôneo.

Cláudia nos relata que não
está recorrendo apenas para resolver
o seu caso particular, o que é
a grande manifestação de
plena consciência de cidadania na
concepção de nosso programa
da Voz do Cidadão. Cláudia
não quer apenas reclamar de seu
caso particular. Quer fazer dele um instrumento
de correção de uma iniqüidade,
defender um direito coletivo, garantido
no Artigo sexto da Constituição
Federal, salvaguardar prerrogativas de
todo um contigente de trabalhadores segurados
pelo INSS e que durante a vida inteira
contribuíram para seu amparo coletivo.

A partir desta semana, o relato do caso
de Cláudia Moura e seu e-mail de
contato estarão figurando no nosso
Mural dos Cidadãos para que possamos
identificar outros casos e, eventualmente,
redigir um manifesto contra o mal atendimento
aos segurados do INSS, sobretudo os mais
idosos e doentes, como já é
de notório conhecimento público.

A partir de um manifesto público,
fundamentado na descrição
objetiva de fatos efetivamente ocorridos,
poderemos consultar o Ministério
Público com vistas a uma ação
popular de responsabilidade civil de ministros,
diretores e superintendentes dos órgãos
envolvidos. Pois não basta a dança
das cadeiras do troca-troca de ministros
e seus auxiliares. É urgente que
se mude toda uma cultura de impunidade
e de arrogância do poder executivo
que viceja desde os anos da ditadura pela
omissão e inoperância de
um poder mitigado como o judiciário.
Parabéns, nossa cidadã exemplar
Cláudia Moura! Mande notícias
e torça para que à sua voz
isolada se juntem outras vozes num grande
coro coletivo de cidadãos moradores
lutando pelos seus plenos direitos de
cidadania!

Categoria:

Editorial

Deixe uma resposta