Estava eu rodando por uma dessas BR da vida quando m dei conta que muitos carros estavam com seus faróis ligados. E era um dia ensolarado! Fui me informar e descobri que os motoristas não eram debilóides.  Tinha sido criada uma lei federal obrigando os motoristas a manterem sempre ligados os faróis, mesmo não sendo de noite, num dia de neblina, nem num dia muito escuro.

 

Parece até aquele Prefeito que, ao saber que tinha muita gente transando nos becos escuros da cidade, fez um decreto  mudando o Sol para a noite, porque de dia já é bastante claro.

 

Faróis acesos durante o dia não acrescentam nada ao grau de iluminação. De dentro do carro, não os percebemos por falta de contraste. Sendo assim, montei mais uma vez o dilemma brasiliensis (dilema brasileiro): Incompetência ou safadeza?

 

Tempos mais tarde fui informado do real motivo da coisa. Os radares brasileiros, tão precários quanto os revólveres Taurus que disparam com um leve toque – Devem ser fabricados pela estatal Radalbras – tem uma margem de erro de detecção de excesso de velocidade de cerca de 35%, um grau muito alto de imprecisão.  Isto estava prejudicando muito a arrecadação de dinheiro das multas.

 

Inventou-sea mutreta arrecadatória das multas obrigando os carros a manterem os faróis ligados. Por que? Porque desse modo a  luz dos faróis permitiam o rastreamento por Laser, e a margem de erro diminuía para 2%. Nada mal, isto resulta em 33 % de aumento no faturamento das multas.

 

Há muito que eu já havia percebido a ação de uma engenhosa indústria de multas, mas essa mutreta superou tudo. É um golpe de karatê no chupado consumidor e contribuinte desferido por governos que nos tomam por imbecis.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.