"Para além de direitos, o maior dever do cidadão é formar outro cidadão.""O maior castigo para aqueles que não se interessam por política é que serão governados pelos que se interessam." Arnold Toynbee"O momento exige que os homens de bem tenham a audácia dos canalhas." Disraeli"Cidadãos moradores, eleitores, consumidores e pagadores de impostos, uni-vos pela plena cidadania!""Mobilizando a cidadania contra o populismo.""O que me preocupa não é o grito dos maus e sim o silêncio dos bons." Martin Luther King"Não basta aos cidadãos terem responsabilidade civil.""Não basta às empresas terem responsabilidade social.""Não basta aos governos terem responsabilidade fiscal.""É preciso o compromisso de todos com a responsabilidade política, expressão de uma verdadeira cultura de cidadania.""Mobilizando a cidadania pela reforma política.""As leis inúteis debilitam as leis necessárias." Montesquieu"A verdadeira administração da justiça é o pilar mais firme de um bom governo." George Washington"Para que o mal triunfe basta que os homens de bem se omitam." Edmund Burke"Não há poder maior que o de uma ideia cuja hora chegou." Victor Hugo"Mobilizando a cidadania pela transparência pública.""É impossível para um homem aprender aquilo que ele acha que já sabe." Epíteto"Onde não há lei, não há liberdade." John Locke"As instituições do Estado e seus agentes devem servir sobretudo ao interesse público. Em caso de conflito de interesse entre cidadãos e governantes, devem servir mais aos primeiros que aos segundos.""Se um cidadão invoca a cidadania em defesa de direitos, seus deveres não podem ser ignorados." T.H. Marshall"Mobilizando a cidadania contra a demagogia." "Qualquer homem que dispõe de poder é levado a abusar desse poder; e irá até onde encontrar limites." Montesquieu"E sem saber que era impossível, ele foi lá e fez." Jean Cocteau"Nunca duvide que um grupo de cidadãos comprometidos e atuantes pode mudar o mundo." Margaret Mead"Mobilizando a cidadania contra a impunidade e a ilegalidade.""Para além de direitos, o maior dever do cidadão é formar outro cidadão.""Mobilizando a cidadania contra a imoralidade política.""O jornalismo pode e deve ter um papel no reforço da cidadania, melhorando o debate público e ressuscitando a vida pública."

"Para além de direitos, o maior dever do cidadão é formar outro cidadão.""O maior castigo para aqueles que não se interessam por política é que serão governados pelos que se interessam." Arnold Toynbee"O momento exige que os homens de bem tenham a audácia dos canalhas." Disraeli"Cidadãos moradores, eleitores, consumidores e pagadores de impostos, uni-vos pela plena cidadania!""Mobilizando a cidadania contra o populismo.""O que me preocupa não é o grito dos maus e sim o silêncio dos bons." Martin Luther King"Não basta aos cidadãos terem responsabilidade civil.""Não basta às empresas terem responsabilidade social.""Não basta aos governos terem responsabilidade fiscal.""É preciso o compromisso de todos com a responsabilidade política, expressão de uma verdadeira cultura de cidadania.""Mobilizando a cidadania pela reforma política.""As leis inúteis debilitam as leis necessárias." Montesquieu"A verdadeira administração da justiça é o pilar mais firme de um bom governo." George Washington"Para que o mal triunfe basta que os homens de bem se omitam." Edmund Burke"Não há poder maior que o de uma ideia cuja hora chegou." Victor Hugo"Mobilizando a cidadania pela transparência pública.""É impossível para um homem aprender aquilo que ele acha que já sabe." Epíteto"Onde não há lei, não há liberdade." John Locke"As instituições do Estado e seus agentes devem servir sobretudo ao interesse público. Em caso de conflito de interesse entre cidadãos e governantes, devem servir mais aos primeiros que aos segundos.""Se um cidadão invoca a cidadania em defesa de direitos, seus deveres não podem ser ignorados." T.H. Marshall"Mobilizando a cidadania contra a demagogia." "Qualquer homem que dispõe de poder é levado a abusar desse poder; e irá até onde encontrar limites." Montesquieu"E sem saber que era impossível, ele foi lá e fez." Jean Cocteau"Nunca duvide que um grupo de cidadãos comprometidos e atuantes pode mudar o mundo." Margaret Mead"Mobilizando a cidadania contra a impunidade e a ilegalidade.""Para além de direitos, o maior dever do cidadão é formar outro cidadão.""Mobilizando a cidadania contra a imoralidade política.""O jornalismo pode e deve ter um papel no reforço da cidadania, melhorando o debate público e ressuscitando a vida pública."

Artigo – Do Globo: “Barroca irresponsabilidade”, por Jorge Maranhão

O Globo traz em sua edição de 11/02 um panorama devastador das dez maiores tragédias do país. O que atribui a negligência e impunidade generalizadas, mas sobretudo ao ineficiente sistema judiciário, um dos mais caros do mundo!

Mas penso que uma raiz cultural elucida melhor este gargalo civilizatório. A resiliência de nossa cultura barroquista de irresponsabilidade. Como diz a etimologia, irresponsabilidade é não responder pelos seus atos perante um dever moral ou lei existente. É querer se enganar de que atos não tem consequências, sobretudo atos de omissão!

E assim prosseguimos na cultura da farsa. Pois o que está em jogo hoje no Brasil, não é apenas a sucessão de catástrofes naturais, mas a resistência da cultura barroquista que rechaça qualquer iniciativa de precaução e prudência, predicados iluministas.

O que nos domina é a mentalidade barroquista, a cultura que consagra o paradoxo de que elaboramos tantas leis, normas e regulamentações quanto compulsivamente não as cumprimos. Que tudo é meio e processo infindos para não se chegar a nenhum fim. Como nas volutas, espirais, labirintos, trompe l’oeil e demais jogos de ideias, artimanhas da cultura barroquista.

É a certeza da impunidade como paradigma de conduta social, a compulsão de não encarar os problemas de frente e jogar para escanteio. Generalizar culpas, diluir responsabilidades, achar que podemos enganar a todos durante todo o tempo! Sofismar de que forças maiores da natureza nos justifica a inércia e nos isenta de iniciativas. A cultura da farsa barroquista entranhada na nossa alma!

Pois foi a impunidade da Vale em Mariana que a fez rescindir em Brumadinho! E insistir no rolo, no enrolar sem fim!

Todavia, uma boa notícia: o Brasil tem demonstrado nas ruas desde 2013 que está farto de torções e distorções barroquistas! E atingido agora na sua paixão nacional, o futebol, talvez tudo fique mais claro: a mudança política que queremos começa com a mudança de costumes dos cidadãos. Neste barroco país tropical, o maior time de futebol brasileiro pode nos proporcionar um oportuno aprendizado, algo mais para Zico do que para Romário!

Jorge Maranhão é escritor e autor de Destorcer o Brasil

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.

%d blogueiros gostam disto: