Posted on 5 de abril de 2020

 Editorial Articulacao Conservadora 

A morte por quaisquer meios só pode ser vencida pela vida por todos os meios.

Descartar a guerra ideológica é perdê-la, e isso não significa a “volta da esquerda”, isso significa sua morte física e a de seus familiares. Centenas de milhões já passaram por isso.

Desconhecer a História é estar condenado a repeti-la.

O objetivo dos seus inimigos é destruir a sociedade mais evoluída da história humana, matá-lo, destruir sua família e tomar suas posses. Esse objetivo deve ser alcançado por quaisquer meios, educando você e seus filhos com outros ideais, destruindo sua família, infectando a sociedade, aniquilando a economia – quaisquer meios para causar a morte, a destruição e o subsequente controle.

Tudo a sua volta é a guerra ideológica. A TV que você liga, escolas, as faculdades, seu vizinho que repete ideias que ele próprio desconhece que não são dele. Todos dominados por quase um século de disseminação dos pensamentos da Escola de Frankfurt. Tudo isso resulta na “social-democracia”, na “neo-ecologia”, no partido democrata americano, nos governos genocidas da Venezuela e Cuba, na permanência de Putin no poder por já quase mais tempo que Stalin, na centena de milhões de mortes que essa ideologia já causou ao planeta, mais do que todas as guerras e pragas naturais juntas, e mais recentemente no ataque biológico chinês.

A guerra ideológica é a única que importa. De nada adianta vencer a guerra militar, econômica ou biológica se não vencermos no campo ideológico, nas escolas e nas artes.

A morte por quaisquer meios da esquerda é baseada em um só fator, a mentira. A mentira desde o marxismo, desde Rousseau, até a mentira dos genocidas chineses, repetidas e propagadas pela sua “drogada e prostituída” ONU, através da OMS; a mentira do Green New Deal, a mentira de que a Europa é democrata quando na realidade é governada por um politburo globalista, onde seus “parlamentares” (que já não mais são eleitos pelo povo europeu) não possuem nem o direito a liberdade de expressão ou mesmo de exibir suas bandeiras nacionais dentro dessa douma européia, ou mesmo um pin na gravata. Tudo mentira, essas e muito mais.

Tudo que lhe tome a vida, a liberdade e a propriedade.

Agora atinge uma nova forma com a guerra-bioeconômica iniciada pela China com o apoio da ONU. Buscando sempre o maior número de mortos, a união entre as mortes de causas biológicas e as causadas pela recessão forçada, e a destruição da economia.

A mentira agora é: “fique em casa ou você vai morrer e acabar matando seus pais e vizinhos”.

Mentira difundida com medo.

Não pesam as mortes pela recessão. E se as pesam, as desejam.

O combate à morte e por quaisquer meios, só pode ser um: a vida por todos os meios.

A arma para combater a mentira só pode ser uma: a verdade e a tranquilidade que o seu conhecimento lhe garante.

O meio, a informação. Por meia década, fomos forçadamente enganados pelos sistemas tradicionais de cultura e educação. Hoje os poucos heróis da resistência mundial florescem nas mídias sociais. E a turma da morte por quaisquer meios já apontou seus canhões para o cerceamento desse meio até então livre de disseminação de idéias, e ainda querem a censura da mídia social (que às vezes chamam de “democratização das mídias sociais” ou politica contra o “hate speech” – mais mentiras).

Os sistemas nacionais devem equilibrar a luta contra a Peste Chinesa e a manutenção da Economia, de modo a evitar as causalidades excessivas de ambos os lados. Isso não é fácil, principalmente no Brasil. Governadores incitando recessão, Congresso não reduzindo seus salários e impedindo o re-propósito do Fundo Eleitoral, o STF soltando criminosos e mantendo bandidos livres em cargos públicos e muitos no próprio Congresso.

Mentiras tentam derrubar o fenômeno conservador que luta pela vida por todos os meios e recolocar o país no rumo do destruição, morte por quaisquer dos meios.

Se iludir de tudo isso em prol do “o problema é o que o Bolsonaro fala”, é correr de braços abertos ao inimigo que aponta um fuzil para sua testa, seu imbecil.

Proliferar “o que ele fala não ajuda” é ir contra! Ele não está lá pra ajudar essa corja genocida que domina sua mente como uma marionete.

Nós, conservadores, intuitivamente colocamos Bolsonaro lá, movidos pela nossa “natureza boa”, miraculosamente superando tudo que nos foi “ensinado” pelos assassinos.

Bolsonaro é um dos únicos do governo que entende a guerra ideológica, e só não faz mais porque sabe que não pode correr o risco de deixar o posto ou ser removido da frente dessa batalha.

Bolsonaro está lá para trazer a verdade.

Bolsonaro está lá para lutar pela vida por todos os meios.

E nós temos que estar aqui por ele.

Quarentene-se se for grupo de risco e se puder ou estiver contaminado, senão vá a luta, não perca seu emprego, não morra de fome nem perca condição de manter ou melhorar sua cobertura médica!

Autor do texto: Marcelo Mariózi é formado em Ciências Aeronáuticas pela PUC-RS e piloto de linha aérea comercial. Atualmente é Comandante de Boing 777 na Emirates, em Dubai.
É fotógrafo profissional, praticante de paraquedismo, surf, jiu-jítsu, downhill e baterista.

Veja mais em https://articulacaoconservadora.org/

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.