"Para além de direitos, o maior dever do cidadão é formar outro cidadão.""O maior castigo para aqueles que não se interessam por política é que serão governados pelos que se interessam." Arnold Toynbee"O momento exige que os homens de bem tenham a audácia dos canalhas." Disraeli"Cidadãos moradores, eleitores, consumidores e pagadores de impostos, uni-vos pela plena cidadania!""Mobilizando a cidadania contra o populismo.""O que me preocupa não é o grito dos maus e sim o silêncio dos bons." Martin Luther King"Não basta aos cidadãos terem responsabilidade civil.""Não basta às empresas terem responsabilidade social.""Não basta aos governos terem responsabilidade fiscal.""É preciso o compromisso de todos com a responsabilidade política, expressão de uma verdadeira cultura de cidadania.""Mobilizando a cidadania pela reforma política.""As leis inúteis debilitam as leis necessárias." Montesquieu"A verdadeira administração da justiça é o pilar mais firme de um bom governo." George Washington"Para que o mal triunfe basta que os homens de bem se omitam." Edmund Burke"Não há poder maior que o de uma ideia cuja hora chegou." Victor Hugo"Mobilizando a cidadania pela transparência pública.""É impossível para um homem aprender aquilo que ele acha que já sabe." Epíteto"Onde não há lei, não há liberdade." John Locke"As instituições do Estado e seus agentes devem servir sobretudo ao interesse público. Em caso de conflito de interesse entre cidadãos e governantes, devem servir mais aos primeiros que aos segundos.""Se um cidadão invoca a cidadania em defesa de direitos, seus deveres não podem ser ignorados." T.H. Marshall"Mobilizando a cidadania contra a demagogia." "Qualquer homem que dispõe de poder é levado a abusar desse poder; e irá até onde encontrar limites." Montesquieu"E sem saber que era impossível, ele foi lá e fez." Jean Cocteau"Nunca duvide que um grupo de cidadãos comprometidos e atuantes pode mudar o mundo." Margaret Mead"Mobilizando a cidadania contra a impunidade e a ilegalidade.""Para além de direitos, o maior dever do cidadão é formar outro cidadão.""Mobilizando a cidadania contra a imoralidade política.""O jornalismo pode e deve ter um papel no reforço da cidadania, melhorando o debate público e ressuscitando a vida pública."

"Para além de direitos, o maior dever do cidadão é formar outro cidadão.""O maior castigo para aqueles que não se interessam por política é que serão governados pelos que se interessam." Arnold Toynbee"O momento exige que os homens de bem tenham a audácia dos canalhas." Disraeli"Cidadãos moradores, eleitores, consumidores e pagadores de impostos, uni-vos pela plena cidadania!""Mobilizando a cidadania contra o populismo.""O que me preocupa não é o grito dos maus e sim o silêncio dos bons." Martin Luther King"Não basta aos cidadãos terem responsabilidade civil.""Não basta às empresas terem responsabilidade social.""Não basta aos governos terem responsabilidade fiscal.""É preciso o compromisso de todos com a responsabilidade política, expressão de uma verdadeira cultura de cidadania.""Mobilizando a cidadania pela reforma política.""As leis inúteis debilitam as leis necessárias." Montesquieu"A verdadeira administração da justiça é o pilar mais firme de um bom governo." George Washington"Para que o mal triunfe basta que os homens de bem se omitam." Edmund Burke"Não há poder maior que o de uma ideia cuja hora chegou." Victor Hugo"Mobilizando a cidadania pela transparência pública.""É impossível para um homem aprender aquilo que ele acha que já sabe." Epíteto"Onde não há lei, não há liberdade." John Locke"As instituições do Estado e seus agentes devem servir sobretudo ao interesse público. Em caso de conflito de interesse entre cidadãos e governantes, devem servir mais aos primeiros que aos segundos.""Se um cidadão invoca a cidadania em defesa de direitos, seus deveres não podem ser ignorados." T.H. Marshall"Mobilizando a cidadania contra a demagogia." "Qualquer homem que dispõe de poder é levado a abusar desse poder; e irá até onde encontrar limites." Montesquieu"E sem saber que era impossível, ele foi lá e fez." Jean Cocteau"Nunca duvide que um grupo de cidadãos comprometidos e atuantes pode mudar o mundo." Margaret Mead"Mobilizando a cidadania contra a impunidade e a ilegalidade.""Para além de direitos, o maior dever do cidadão é formar outro cidadão.""Mobilizando a cidadania contra a imoralidade política.""O jornalismo pode e deve ter um papel no reforço da cidadania, melhorando o debate público e ressuscitando a vida pública."

Metodologia para melhorar a transparência e a ética nos contratos

Pacto Global da ONU lança guia de prevenção à corrupção no patrocínio esportivo
 
Documento, em português, traz uma série de orientações básicas para empresas que estejam interessadas em apoiar eventos esportivos.         
 

 
No dia da abertura da Copa do Mundo da Fifa, o Instituto Ethos e a Rede Brasileira do Pacto Global da ONU lançaram a publicação Combatendo a Corrupção no Patrocínio Esportivo e nas Ações de Hospitalidade – um Guia Prático, versão em português de Fighting Corruption in Sport Sponsorship and Hospitality. Desenvolvido para auxiliar as empresas no investimento em campeonatos esportivos, o objetivo do documento é contribuir com a prevenção da corrupção nesse tipo de ação de marketing.
 
A publicação, de 52 páginas, aponta os riscos mais recorrentes e propõe uma metodologia para melhorar a transparência e a ética nos contratos e na prestação de contas de patrocínios ao esporte. O guia também aborda outra modalidade bastante comum de apoio, conhecida como “ações de hospitalidade”: troca de favores e presentes entre patrocinadores e entidades desportivas. Mesmo com o final da Copa do Mundo, a temática continua relevante no Brasil, já que em 2016 o país organiza a próxima Olimpíada, sem contar os muitos campeonatos esportivos regulamente disputados no país.
 
A principal recomendação do guia é tratar entidades desportivas com o mesmo rigor que deveria ser dispensado aos fornecedores de outros serviços para as empresas. Isso significa adotar e implementar medidas de compliance e due diligence, tais como avaliações de risco, auditoria e programas anticorrupção para aprovação do patrocínio.
 
Para enfrentar os riscos relacionados à corrupção, são propostas seis etapas:
 
1)  comprometimento com os princípios de conduta empresarial do Pacto Global da ONU;
 
2)  avaliação de riscos, oportunidades e impactos;
 
3)  definição de metas;
 
4)  implementação de estratégias;
 
5)  mensuração de impactos; e
 
6)  comunicação do progresso às partes interessadas.
 
A criação de canais de denúncia e a divulgação em site dos contratos de patrocínios são algumas das ações propostas.
 
O guia também traz um estudo de caso sobre a experiência do Instituto Ethos com o projeto Jogos Limpos Dentro e Fora dos Estádios, que integra ações para a prevenção da corrupção em governos, em empresas e na sociedade, aproveitando a grande atenção que recebe a Copa do Mundo nos países-sede.
 
Sobre o guia
 
O original em inglês deste guia foi lançado oficialmente em março deste ano. Seu resultado reflete discussões e consultas públicas com empresas, a sociedade civil e especialistas, lideradas pelo Pacto Global da ONU. No Brasil, foram organizadas duas rodadas de debate sobre o conteúdo da versão em português pelo Comitê de Empresas e Investidores do projeto Jogos Limpos e pelo Grupo de Trabalho do Pacto Empresarial pela Integridade e contra a Corrupção, ambos do Instituto Ethos, e também pela Força-Tarefa da Rede Brasileira do Pacto Global para o 10º Princípio.
 
O projeto Jogos Limpos Dentro e Fora dos Estádios é uma iniciativa do Instituto Ethos, lançada em dezembro de 2010 com o propósito de desenvolver ações para ampliar a transparência das contas públicas, melhorar a integridade nas relações público-privadas e fortalecer o controle social, sobretudo nos investimentos para os megaeventos esportivos.
 
Já o Grupo de Trabalho do Pacto Empresarial pela Integridade e contra a Corrupção foi criado em julho de 2007 para auxiliar na implantação de políticas de promoção da integridade e combate à corrupção, mobilizar empresas e entidades empresariais e promover a troca de experiências entre as organizações signatárias.
 
Quanto ao Pacto Global das Nações Unidas, trata-se da maior iniciativa de sustentabilidade corporativa voluntária do mundo. Lançado em 2000, reúne 8.000 empresas signatárias em 145 países, com o objetivo de alinhar as operações de negócios aos dez princípios universalmente aceitos nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e combate à corrupção. O Brasil é a quarta maior rede local do Pacto Global, com cerca de 600 signatárias – entre empresas e outras organizações. Desde 2011, o Pnud Brasil exerce a função de secretariado executivo, responsável pela coordenação e promoção da iniciativa no país.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.