Magistrados crêem que eleição direta será realidade em breve

Votação no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro foi pioneira e por apenas um voto rejeitou proposta de eleições diretas no tribunal

Leia abaixo a íntegra da nota da Amaerj sobre esse marco na organização dos tribunais de justiça do páis.

 

  • Votação do Pleno do TJ-RJ é reconhecida como maior avanço pelas diretas no Judiciário

Todo o Brasil reconheceu a votação do Tribunal Pleno do Rio, realizada na última quinta-feira (21/08), como o maior avanço da luta pelas eleições diretas no Judiciário. Após o pleito formulado pela Amaerj, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro foi o primeiro que admitiu discutir a questão.

A Amaerj ratifica as palavras do presidente da AMB, João Ricardo Costa, no sentido de que mesmo aqueles que externaram posição contrária ao nosso pleito, estão imbuídos dos melhores propósitos, pois entenderam que era o melhor para o Judiciário neste momento. Ratifica-se ainda que os desembargadores não puderam justificar seus posicionamentos.

Não interessa à Amaerj discutir quem votou a favor ou contra. A partir deste momento, o processo é de convencimento àqueles que ainda não concordam com a nossa proposta. O pleito da Amaerj obteve 47 votos e nosso objetivo é aumentar este número.

Reforçamos que a publicação da lista foi para informar aos cerca de 600 juízes, da capital e do interior, o resultado imediato da votação, não para expor os colegas. A lista é extraoficial e, portanto, aguardamos a publicação da ata pelo Tribunal. 

A Amaerj continua a luta institucional, junto com a AMB, pelas eleições diretas (PEC 187/2012).

Continuamos trabalhando para que esta seja a última eleição sem a participação dos juízes no nosso Tribunal.

Deixe uma resposta