Em meio à perplexidade nacional sobre os eventos de massacres dos presídios, devemos refletir mais sobre a responsabilização dos agentes públicos corruptos sobre “os acidentes pavorosos”. Dos governadores de estado aos agentes penitenciários que se deixaram corromper, quer pelas quadrilhas de dentro dos presídios, quer por empresas concessionárias dos serviços de gestão dos mesmos.

Deixe uma resposta