Até mesmo a presidente do Supremo Jeitinho achou absurdo o pleito de alguns setores do judiciário brasileiro por aumentos de até 41% em seus vencimentos denunciados pelas redes sociais. Mas crescem também os movimentos dos cidadãos contra escandalosos privilégios da magistratura brasileira, que dão sempre um péssimo exemplo às demais categorias de servidores, como vimos recentemente o próprio MPF recuar de uma proposta de mais de 16% de aumento nos vencimentos dos promotores. Vejam o caso da imoral incorporação de auxílios-moradias aos vencimentos de toda a classe dos magistrados, que passam a furar a determinação do teto constitucional dos salários dos servidores públicos. Já há anos que o ministro Luiz Fux “sentou” em cima do processo de arguição da constitucionalidade deste escandaloso penduricalho e não esboça a mínima vergonha na cara de liberar o processo para julgamento, em detrimento de toda a classe da magistratura que se alia à classe corrupta dos políticos corporativistas e não aos movimentos da cidadania contra a impunidade.

Deixe uma resposta