Foram avaliados 153 aeroportos no mundo inteiro

 

Nova pesquisa da Associação Proteste revela que os aeroportos brasileiros ainda deixam muito a desejar

 

Prestes a sediar a Copa do Mundo de 2014, nossa pesquisa revela que os aeroportos e as empresas aéreas do Brasil figuram entre os piores do mundo, segundo os passageiros.

 

Foram avaliados 153 aeroportos no mundo inteiro. Guarulhos, em São Paulo, o internacional mais movimentado do Brasil, e Brasília, o pior avaliado do país, figuram entre os cinco mais mal classificados. Outros aeroportos de destaque nacional como Congonhas, em São Paulo, Galeão, no Rio de Janeiro, e Confins, em Minas Gerais, se saem igualmente mal.

 
O único avaliado como bom é o de Recife, exceto pelo péssimo acesso por transporte público e os precários procedimentos de segurança. Mesmo assim, as instalações de seu estacionamento, juntamente com as de Florianópolis, não passam de aceitáveis. Apesar disso, elas são consideradas muito melhores que as dos outros aeroportos, todas inadequadas.
 
Nós enviamos questionários a mais de 9 mil pessoas de seis países: Brasil, Bélgica, Portugal, Espanha, França e Itália. Perguntamos aos entrevistados como foram suas experiências vividas no ano passado com aeroportos e empresas aéreas. Ao todo, 623 brasileiros responderam às questões.  Além dos aeroportos, mais de 70 empresas aéreas de mundo todo foram avaliadas. Foram incluídas na pesquisa 14 aeroportos e três companhias aéreas brasileiras.
 
As classificações ruins são comuns a praticamente todos os aeroportos brasileiros. Quesitos como falta de acesso adequado por carro, demora no tempo de deslocamento até o portão de embarque, procedimentos de segurança impróprios e falta de orientações ou informações confusas durante o check-in foram avaliados. Recife é o único aeroporto cujas cadeiras são classificadas como boas e os aeroportos de São Paulo e do Rio de Janeiro não possuam lounges de espera e restaurantes satisfatórios.
 

Deixe uma resposta