Cidadania pressupõe o confronto saudável de ideias

Escola sem Partido: doutrinação ideológica no ensino não forma verdadeiros cidadãos

Um tema fundamental para a qualidade do ensino, mas pouco comentado abertamente no Brasil é o da doutrinação ideológica nas escolas e universidades. Quem aí em casa sabe o que é isso e como reconhecer? A doutrinação ideológica escolar acontece quando professores e mesmo livros didáticos deixam de apresentar fatos e informações de maneira imparcial, distorcendo-os de acordo com as suas próprias crenças pessoais ou posicionamento ideológico e político.

A ideia é sempre conquistar os mais novos para sua própria doutrina, aproveitando-se da natural ingenuidade e falta de conhecimento dos jovens e da confiança de pais e mães nos mestres de seus filhos.

O resultado é a formação “capenga” de nossos jovens, que acabam não sendo preparados para a saudável discussão com pontos de vista diferentes, para a tolerância ao contraponto de ideias, para o respeito a quem pensa de forma diversa da sua. A cidadania só pode evoluir através de contribuições vindas de diversas correntes de pensamento e “empurrar” para os nossos jovens apenas uma significa restringir a possibilidade de formarmos verdadeiros cidadãos, atuantes, críticos, dispostos a questionar de maneira correta o poder público e a colaborar para o aperfeiçoamento e valorização das instituições.

Desde o ano passado, temos notado um aumento das denúncias contra esse tipo de doutrinação que, ao que parece, é mais extenso do que a sociedade supõe. Já há alguns anos uma pequena organização de Brasília, a Escola Sem Partido, vem denunciando materiais didáticos, professores e até o corpo diretor de escolas que insistem em transformar jovens em meros robôs repetidores de doutrinas. Por este trabalho, inclusive, a organização já vem colecionando alguns processos, decorrentes de suas denúncias à Justiça e ao Ministério Público.

Vale a pena conhecer o site www.escolasempartido.org, onde vocês podem conhecer vários casos bem documentados de doutrinação ideológica em nossas escolas.

Clique aqui neste link >>

Deixe uma resposta