A administração transparente do dinheiro público é dever do Estado e direito seu

Ser republicano

Nenhum homem nesta terra é repúblico, nem vela ou trata do bem comum, senão cada um do bem particular.”

Simão de Vasconcelos, 1663.

*********************************

Por José Murilo de Carvalho
Publicado no jornal O Globo em 06/07/2009

Ser republicano é crer na igualdade civil de todos, sem distinção de qualquer natureza.

É rejeitar hierarquias e privilégios.

É não perguntar: “Você sabe com quem está falando?”

É responder: “Quem você pensa que é?”

É crer na lei como garantia da liberdade.

É saber que o Estado não é uma extensão da família, um clube de amigos, um grupo de companheiros.

É repudiar práticas patrimonialistas, clientelistas, familistas, paternalistas, nepotistas, corporativistas.

É acreditar que o Estado não tem dinheiro, que ele apenas administra o dinheiro pago pelo contribuinte.

É saber que quem rouba dinheiro público é ladrão do dinheiro de todos.

É considerar que a administração eficiente e transparente do dinheiro público é dever do Estado e direito seu.

É não praticar nem solicitar jeitinhos, empenhos, pistolões, favores, proteções.

Ser republicano, já dizia há 346 anos o jesuíta Simão de Vasconcelos, É NÃO SER BRASILEIRO.

* José Murilo de Carvalho é historiador

Deixe uma resposta