Como dissemos, seria realmente uma comédia se, na verdade, não fosse uma tragédia. E que tem como consequência a eleição de Bolsonaro. Não fosse a arrogância de nosso jornalismo que se acha único dono da virtude da imparcialidade que, em nosso país, deixou de ser virtude pela arrogância da magistratura.

Deixe uma resposta